[resenha] o conto da aia

pode conter alguns spoilers

talvez (com certeza) eu estteja atrasada pra festa. sei que muita gente já resenhou o conto da aia (the handmaid's tale), mas quando assisti a série - no caso, devorei - eu pensei muito em fazer uma resenha no grl pwr.  logo eu desisti por não me sentir capaz de escrever uma reflexão que fosse digna de aparecer por lá.

foto: hulu/divulgação
então, shall we?
o conto da aia é uma adaptação do livro de mesmo nome da autora margaret atwood (1985) e sua primeira temporada foi ao ar pela plataforma de streaming hulu

a história - bizarra - reúne em sua narrativa questões de fertilidade e maternidade aplicadas a em uma sociedade do futuro não tão distante. a república de gilead (eua) está inserida num contexto de guerra civil, onde impera um governo totalitário e teocrático que controla todos os aspectos da vida de seus cidadãos. ainda neste cenário, as mulheres, divididas em castas, são propriedades do governo. mulheres ferteis - uma raridade neste contexto - formam o grupo das aias e despidas de seus direitos e desejos, assumem sua única função social:  procriar.


cada uma dessas aias é enviada a diferentes lares onde residem homens poderosos do governo e suas mulheres inférteis. nas chamadas "cerimônias", a aia é estuprada por seu comandante num ritual de fazer arrepiar até o último fio de cabelo.

a narrativa é feita por offred (elisabeth moss, pisa menos, eu te imploro) e esse nome já carrega grande significado. offred significa exatamente isso: of fred, ou em tradução livre, de fred, seu comandante. a história mistura presente e flashbacks do passado que vez ou outra, para mim, foram essenciais para que eu me lembrasse que a série não se tratava de uma história "de época", mas sim de uma sociedade moderna. é a partir desses flashbacks que conhecemos o background de offred e também como a sociedade foi sofrendo mudanças até que chegasse ao presente que estamos assistindo.


além de offred e o núcleo da casa de seu comandante, a história também nos apresenta personagens como luke, marido de offred em sua vida"anterior", ofglen, vivida por alexis bledel (premiada essa semana pelo papel) e moira (samira wiley), melhor amiga de offred.

a série é extremamente bem produzida e sua fotografia é impecável... sabe essas séries que a gente começa a assistir sem muita expectativa e quando vê já viciou? pois é! o conto da aia foi possivelmente a melhor série que assisti nesse ano e que fiquem avisados: ela foi renovada para uma segunda temporada, portanto, assistam! a reflexão que a produção nos convida a fazer é extremamente pertinente para os dias assombrados que vivemos.

ana, tem trailer legendado? tem sim sinhô:

2 comentários:

  1. eu ainda não vi a temporada inteira, ainda tô no quarto ep. assisto ~devagar~ pois acho muito perturbador, sabe? cada episódio que assisto vejo que não é uma distopia que tá tão longe de acontecer, parece que vou piscar o olho e estar vivendo essa realidade.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. te entendo 100%! a história causa um desconforto imensoooo e é ainda mais assustador imaginar o quanto é possível que algo assim aconteça.

      Excluir

obrigada pelo comentário! respondo e visito todos os links que deixam aqui :)

ttc // a teoria de todas as coisas © 2018. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.