sábado, 11 de novembro de 2017

as vezes tem que dar errado para dar certo


se você ainda não leu meu último post sobre meus dramas de tcc, clica aqui para se atualizar, mas resumindo a ópera, estava tudo indo pro brejo. motivo esse que me levou a sumir daqui por todos esses dias... tive que reescrever uma tonelada de coisas e mudar todo o direcionamento da pesquisa, mas não vamos entrar em detalhes para evitar a crise de gastrite nervosa, não é mesmo?
agora, posso respirar e dizer que SOBREVIVI. enviei ontem o que espero ser a última versão do trabalho para ser revisada antes da entrega final para a banca. CAN I GET AN AMEN UP IN HERE?  agora tô livre pra ler e escrever sobre qualquer coisa e por menor que isso possa parecer para algumas pessoas, eu tô que não me aguento de felicidade (misturada a umas gotas de alívio também).
 
então, meuzamô, aguardem o retorno da programação normal, com resenhas e textões mais frequentes e mandem avisar que eu tô de volta.
nesse meio tempo rolou lançamento da revista maravilha e pra quem curte um bom papo sobre feminismo e empoderamento, o conteúdo é prato cheio. aliás, se você curte tanto o assunto que tem vontade de escrever sobre isso, a gente tá reunindo mais gente para colaborar com nossas colunas! entra lá no site pra ver como participar da nossa equipe :)
 o post de hoje tá meio meio chocho (manco, capenga, anêmico, frágil e inconsistente) mesmo, mas a gente faz o que pode, não é mesmo? então tá bom.

Um comentário:

  1. Sobre a frase do título concordo completamente! Quem nunca passou por esses momentos, né? Mas o que importa é que deu certo!!! Beiijos.

    ResponderExcluir

obrigada pelo comentário! respondo e visito todos os links que deixam aqui :)