23/11/2017

[resenha] dias de abandono

as mulheres sem amor dissipavam a luz dos olhos, as mulheres sem amor morriam vivendo. (dias de abandono, p. 41)
foto: ana mattos/a teoria de todas as coisas

elena ferrante é unanimidade entre as indicações literárias que tenho visto nos últimos meses. já há algum tempo me via ansiosa pela oportunidade de ler algo da autora e eis que essa oportunidade chegou na forma de dias de abandono, publicado sob o selo biblioteca azul, da editora globo livros. antes de mais nada, uma breve sinopse (retirada da contracapa do livro):

depois de quinze anos de casamento, olga é abandonada por mario. presa ao cotidiano estilhaçado com dois filhos, um cachorro e nenhum emprego, ela se recusa a assumir o papel de povorella (a "pobre mulher abandonada"). essa opção projeta um turbilhão de obsessões, angústias e ímpetos violentos, capazes de afastar olga do fato de que as derrotas precisam ser assumidas para que a vida possa enfim seguir adiante. 

o livro é curtinho, 183 páginas, mas a densidade da história não permite que a leitura seja tão fácil assim. li pouco mais da metade da obra com uma rapidez surpreendente, mas a partir daí, fui me arrastando, não por ser um livro ruim, mas por ser uma história incrivelmente pesada.

precisei de pausas para respirar.

dias de abandono é uma narrativa em primeira pessoa, ou seja, vamos acompanhando a história toda sob a perspectiva de olga, a mulher abandonada por seu marido após 15 anos de casamento e dois filhos. isso acontece logo na primeira página do livro e portanto, o suplício de olga não demora a ter início.

diante de nossos olhos, essa mulher começa a se transformar em uma pessoa totalmente diferente do que dizia ser antes de sua separação. ela se vê lidando com responsabilidades que antes eram divididas por dois: filhos, contas para pagar, o cachorro otto, a administração da casa... se torna uma pessoa apática, por vezes agressiva e incapaz de dar atenção a seus filhos.

isso se estende por quase toda a narrativa, mas olga vive o ponto alto de seu drama em um dia que precisa lidar com um de seus filhos e seu cachorro doentes - ao mesmo tempo. aqui prefiro não entrar em detalhes pois spoilers, né mores? mas encaro esse acontecimento como um divisor de águas na transformação de olga.

sutilmente, elena ferrante traça uma crítica muito interessante sobre o papel da mulher abandonada na sociedade. mulheres forçadas a lidar com uma decisão unilateral de desmanchar um casamento, onde muitas vezes, abriram mão de seus sonhos e vontades em favor de um homem que agora, com o estalar de dedos, vai embora para não voltar mais. mulheres forçadas a viver no limbo da solidão.
________________________________________________________

(clique na imagem para comprar)



título original: i giorni dell'abbandono
autora: elena ferrante
editora: biblioteca azul / globo livros
gênero: ficção
páginas: 183
edição: 2016

2 comentários:

obrigada pelo comentário! respondo e visito todos os links que deixam aqui :)