27/12/2017

Let us dance in the sun, wearing wild flowers in our hair

Não faz muito tempo que vocês chegaram por aqui, talvez dois ou três meses. Logo de cara puderam perceber que a gente mora num apê cercado de outras construções e por isso, o sol nem sempre dá as caras em todos os cômodos.

Eu nunca cuidei de plantas e em meio à rotina diária, é difícil lembrar de aguar vocês com a frequência certa - e adequada a cada espécie - e então, veja bem onde chegamos. As folhas perderam aquele tom de verde vibrante, dando lugar a um amarronzado quase sem vida.

Minha mãe sempre me disse que é bom conversarmos com as plantas, pois elas nos escutam e sentem. Este é meu apelo a vocês: vivam! ainda que o sol não brilhe todos os dias e que nem sempre seja possível matar a sede.

A vida é muito mais que isso. A vida é risada, lágrimas, lembranças, cheiros incríveis, chocolates em excesso, erros e acertos, luz e escuridão, água e secura... e acima de tudo, ela vale a pena sempre.
 

3 comentários:

  1. Fiquei encantada com a forma que escreveu sobre as plantinhas! Como sou um tanto quanto lenta, achei ate certa parte que se tratava de pessoas que estavam passando um tempo contigo, mas depois que caiu a ficha tudo fez muito mais sentido skaodk

    ResponderExcluir
  2. Mesmo que as coisas estejam complicadas demais, temos que tentar. Continuar. Resistir. Às vezes esquecemos mesmo de regar todas as plantas, mas isso não significa que precisamos deixar tudo de lado.
    Amei seu texto. Um 2018 incrível!

    ResponderExcluir
  3. Que gostoso de ler! Preciso começar meus posts do 642 também! São um exercício tão bom para nossa escrita. Amei a sensibilidade do texto. Beijos.

    ResponderExcluir

obrigada pelo comentário! respondo e visito todos os links que deixam aqui :)