segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

The End of the F***king World

Comecei o ano com o pé direito no quesito 'séries incríveis' para assistir. The End of the F***king World é uma comédia de humor negro e traços de drama, produzida originalmente pela Channel 4 e lançada no Brasil pela Netflix.

A primeira temporada tem 8 episódios bem curtos (cerca de 20 min) e conta a história dos adolescentes desajustados James e Alyssa. Ele acredita ser um psicopata e seu maior desejo é matar um ser humano. Ela é uma sociopata boca suja e com traços de bipolaridade.

A história te cativa já nos primeiros minutos e ao mesmo tempo que a conduta dos dois nos causa certo desconforto, a história se desenrola e na medida que vamos conhecendo suas origens, criamos também uma grande empatia por eles.  

A química entre  Alex Lawther (James) e Jessica Barden (Alyssa) é ingrediente dosado na medida certa para que a história decole e para que a gente se apegue a ela.

Outros dois pontos fortes da produção ficam por conta da fotografia que produz cenas muito incríveis e também da trilha sonora... a vontade é criar uma playlist só das músicas que tocam na série. Amorzinho real <3 

Talvez o humor da série não seja para todo mundo, mas vindo de uma pessoa bem chata e criteriosa com esse tipo de gênero (EU), acredito que muita gente também vai se viciar e consumir a temporada numa sentada só. 




Assistam o trailer:

sábado, 6 de janeiro de 2018

#ValeOSusto?


Quem me conhece bem sabe que eu sou verdadeiramente apaixona por filmes de terror, suspense e derivados. Há mais ou menos uns dois anos eu havia criado um blog/site chamado Vale o susto? para resenhar os filmes e séries do gênero, além de compartilhar notícias e novidades sobre o universo do terror. 

Como muitos dos meus projetos, esse também não foi pra frente e eu acabei abandonando a ideia após alguns meses. Apesar disso, sigo vendo filmes e séries do gênero, mas sinto que é um tema meio deslocado aqui no ttc. Pensando nisso - e aproveitando as férias - pensei então em incorporar essa ideia ao blog, através da criação da tag #ValeOSusto? 

A ideia é, portanto, usar o espaço para resenhar tudo o que eu assistir e publicar aqui mesmo. Se o projeto decolar, quem sabe não animo retomar a ideia do site? #ambições 

Vou começar em breve e material não falta! Como declarei que essa tag pode ser retroativa, já vou logo alimentá-la com resenhas de filmes que já vi ao longo da vida e na medida que for assistindo novidades, trago elas para cá também.

E aí, vamos?

Vem gente!

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Bullet Journal 2018

Foto: a teoria de todas as coisas/ Ana Mattos

Ano passado fui envolvida pela bolha dos Bullet Journals ( ou Bujo para os íntimos), mas a festa não durou nem uma semana direito. Eu acabei entendendo que para conseguir manter o dito cujo, eu jamais conseguiria me prender à estética pinterest da coisa.

Apesar disso, sempre funcionei melhor anotando minhas tarefas, compromissos e ideias... minha cabeça é péssima e se eu não escrevo o que tenho que fazer, eu simplesmente me esqueço. Continuei vendo muita gente dando certo com os Bujos, então quis dar mais uma chance a ele. No fim do ano passado comprei um planner da Cícero e resolvi que faria o meu journal do meu jeito e com a minha cara. Nada de símbolos para identificar tarefas, títulos bonitos e caligrafia caprichada. 

Sim, ainda colo umas washi tapes nas páginas e faço umas firulas, mas sem querer forçar de mais a barra. Eu sou do tipo perfeccionista, mas não fui abençoada com a caligrafia mais linda do mundo, então se eu começo a inventar de mais, nunca acho que fica bom o suficiente. Prova disso é que já arranquei duas páginas do caderno, rsrs. 

Enfim, apesar de pouca coisa inserida no Bujo, afinal de contas hoje ainda é o quinto dia do ano, tô satisfeita com o que comecei a criar. Pensando nisso, achei que poderia ser interessante mostrar um pouco do que eu estou fazendo para inspirar pessoas que assim como eu, também sentem dificuldades em manter uma agenda organizada. Ainda é cedo para dizer se esse método que estou adotando vai dar certo, mas, ao longo do ano a gente vai vendo. 

O meu caderno é o Bullet Journal Clássico com páginas quadriculadas e capa preta. Paguei 70 e poucos reais, mas vi agora no site que o preço baixou e está custando R$64,99 #oportunidades. Escolhi o modelo quadriculado justamente para ver se ajuda um pouco na caligrafia... Por ora, está funcionando. 

No início do Journal resolvi criar uma lista de resoluções que pode crescer ao longo do tempo e onde também posso ter controle do que consegui cumprir durante o ano.

Foto: a teoria de todas as coisas / Ana Mattos
Em seguida, criei um calendário do mês, anotei compromissos mais importantes e reservei um espaço para lista de leituras, filmes e séries. Assim fica mais fácil ter controle de tudo que li e assisti, posso fazer resenhas depois e posts com os favoritos do mês, por exemplo. Na sessão aniversários do mês já rolou arrependimento porque graças ao Facebook, eu não sei o aniversário de ninguém. Isso portanto não será repetidos nos próximos meses.
Foto: a teoria de todas as coisas / Ana Mattos
Por fim, comecei então a planejar os dias individuais da semana. Como comecei a agenda ontem (dia 04/01), não inclui os dias 1, 2 e 3 para não desperdiçar o espaço. Também aproveitei para colar um post-it que serve como lista de compras de supermercado. Como contei no último post, começamos a cozinhar mais para 1. comer melhor e 2. parar de gastar tanto dinheiro com delivery. Com isso, precisamos realizar compras semanais, principalmente de itens hortifruti.
Foto: a teoria de todas as coisas / Ana Mattos
Na página seguinte (não fotografada), criei um espaço dedicado a publicações no blog. O objetivo é manter uma lista de ideias e programações, facilitando a organização de posts que quero criar a cada mês. 

Por ora, é o que tenho na agenda. Também pretendo reservar uma página de controle financeira e uma para acompanhamento do peso. Ao longo do tempo também vou observar o que é de fato relevante e o que é apenas perda de tempo. Acredito que assim vou conseguir me manter organizada e em dia com meus compromissos pessoais, de trabalho e de faculdade.

Que tal?


terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Dois mil e dezoito

Pois então, começamos 2018! Impossível descrever a sensação de alívio que sinto ao me ver - finalmente - livre do ano de 2017.

Hoje ainda é dia 2, mas sinto que já fiz mais coisas até agora do que consegui fazer durante o ano passado inteiro. Que maravilha é se ocupar de projetos pessoais! A virada do ano foi tranquila. Fomos com as cachorras para a casa dos meus sogros e passamos uma noite muito agradável regada a vinho e risadas.

Colocamos em prática nosso plano de cozinhar todos os dias e com isso, reduzir drasticamente nossos gastos com delivery. Com isso também conseguimos começar a comer melhor e dar início ao nosso projeto de emagrecimento e reeducação alimentar.

Foto: a teoria de todas as coisas /Ana Mattos
Conseguimos dar andamento em alguns projetos da casa e com isso, finalmente temos lustre na sala e pendente no quarto (oh a foto lindezinha aí do lado)!

Além disso, me virei nos 30 e finalmente comecei a fazer minhas próprias unhas e também aprendi a dar um jeitinho nas sobrancelhas. Amém, dinheiro economizado! Oremos para que isso perdure...

Também tomei decisões importantes. Apesar de muita gente ter achado que esse texto aqui sobre a sessão de terapia fosse real, ele é mero fruto da minha imaginação. Depois de tanta coisa que vivi nos últimos doze meses, decidi que sim, preciso de terapia! Não porque eu não esteja dando conta das coisas... pelo contrário, me sinto cada dia mais animada com uma vida nova. Mas apesar disso, sempre achei que uma terapia traria benefícios imensuráveis a longo prazo. Não sou perfeita e com certeza posso e devo melhorar muita coisa no meu dia-a-dia. E de quebra, a saúde mental agradece, né mores?

Last, but not least, ganhei de Natal o diário para 5 anos da Intrínseca. O Uma Pergunta por Dia é um diário que serve para fazer exatamente como o nome indica. Cada dia do ano tem uma pergunta e o espaço para que você escreva sua resposta. O diária dura 5 anos e ao final desse prazo, você compara as respostas dadas em cada ano para ver o quanto suas ideias evoluíram e mudaram. Achei a ideia incrível <3

Foto: a teoria de todas as coisas / Ana Mattos