[resenha] Hereditário

by - agosto 28, 2018


No último fim de semana finalmente consegui assistir o filme Hereditário. O longa estreou no Brasil em 21 de junho e o trailer me fez ter a certeza que era um filme que eu precisava ver! Logo que os créditos subiram na tela, eu tinha certeza de que tinha amado tudo... passado alguns dias e após algumas reflexões, minha opinião mudou um pouco. 

Sinopse:

Após a morte da reclusa avó, a família Graham começa a desvendar algumas coisas. Mesmo após a partida da matriarca, ela permanece como se fosse uma sombra sobre a família, especialmente sobre a solitária neta adolescente, Charlie, por quem ela sempre manteve uma fascinação não usual. Com um crescente terror tomando conta da casa, a família explora lugares mais escuros para escapar do infeliz destino que herdaram.

Annie (Toni Colette) é o centro da história. Sua família apresenta um longo histórico de distúrbios psicológicos graves e ao longa da história, tudo leva a crer que Annie tenha herdado esses problemas. Logo, o nome do filme se torna bastante sugestivo. Após a morte da mãe, a família de Annie passa a conviver com uma série de fenômenos perturbadores e o principal mistério de tudo está aí: seriam esses fenômenos manifestações sobrenaturais ou indícios de um surto de natureza psicológica?

Esse conflito coloca Annie e seu marido Steve (Gabriel Byrne) em lados opostos: enquanto ela prefere acreditar no viés paranormal daquilo que estão vivendo, Steve mantem-se cético. Para saber a resposta, só assistindo ao filme e não, não vou estragar a surpresa de ninguém! ;-)

Necessário fazer um alerta: o longa possui 2h07m  de duração... e sim, é uma história de desenvolvimento lento. Muito lento! O ponto positivo fica por conta da tentativa de escapar dos sustos clichês típicos de filmes do gênero. A produção sabe trabalhar bem o mistério psicológico x paranormal e isso fica muito bem ilustrado para quem assiste o filme.

A duração do filme não seria um problema se não fossemos deixados com a sensação de que se empolgaram na produção do filme e nos últimos minutos lembraram que ele precisava acabar. Todo o desenrolar da história se perde em um final corrido e "mal acabado". Não, esse não é mais um filme sem final, mas, não significa que ele termina de forma satisfatória para quem dedicou tanto tempo de atenção a ele.

Talvez meu maior erro tenha sido assistir o filme com expectativas muito altas... por isso, não acho justo dizer que é uma produção ruim, mas está longe de ser o que imaginei ser quando assisti o trailer. No fim, uma bela fotografia, excelente atuações e uma fuga dos clichês faz de Hereditário um filme que vale a pena ser assistido.

Confira o trailer:

Leia também:

0 comentários

obrigada pelo comentário! respondo e visito todos os links que deixam aqui :)